Magalu Nerd?

A compra do site e plataforma Jovem Nerd anunciada hoje pela Magazine Luíza, a Magalu, nos traz algumas dúvidas quanto ao impacto de uma aquisição tão longe do core business da empresa.

Está perceptível que a empresa de Luíza Trajano está diversificando seus negócios e se transformando numa espécie de holding. A aquisição é a forma mais comum de diversificar em outro setor, pois você quebra barreiras de entrada que teria se tivesse que montar um novo negócio do zero neste novo setor.

No entanto, há algumas armadilhas neste meio que faz a gente imaginar como será o futuro do Jovem Nerd, um grupo tão amado pelos seus fãs, agora sob a batuta de um grupo que tem no varejo de bens de consumo o seu principal negócio.

A primeira delas é tentar refazer tudo através de uma nova diretoria para o negócio. O Jovem Nerd e o Azaghal são a cara do seu produto. Se forem substituídos, tanto como mente criativa quanto como apresentadores, dificilmente o seu público ficará no novo Jovem Nerd (eles disseram no anúncio que não vão sair, o que já é ótimo, mas e a liberdade criativa?). Talvez uma liderança sênior que pense em novidades para o grupo Jovem Nerd como um todo seja muito bem vinda, deixando os protagonistas apenas pensando criativamente. E, claro, ganhando dinheiro.

A outra armadilha é se haverá potencial para criação real de uma vantagem competitiva para a Magazine Luíza. Como dizem Gamble e Thompson Jr., “sem o potencial das adequações estratégicas para a vantagem competitiva, o desempenho consolidado de um grupo de negócios não relacionados não é melhor do que a soma que poderia ser obtida pelas unidades de negócios consideradas isoladamente”.

Abaixo o vídeo de anúncio por eles:

Abraços!