Bilheterias no Brasil – 2014

Saiu o ranking das maiores bilheterias do Brasil (até agora). Confira a lista abaixo:

B4XXYrJIcAEf0Fb

 

Sem dúvida, o público brasileiro é amante dos Blockbusters, como vemos explícito na presença de filmes como Transformers, X-Men e Capitão América. Mas o que é impressionante é um filme dramático em primeiro lugar. “A Culpa é das Estrelas”, baseado no livro de mesmo nome de John Green, realmente foi, além de maior presença de público, o que mais gerou buzz. Ainda não vi o filme, mas ouvi demais sobre ele em minhas mídias sociais, entre meus alunos (mais entre minhas alunas), em reuniões de trabalho e colegas de sala.

O que pode nos mostrar isso? Seria uma tendência do brasileiro em curtir, além das histórias bombásticas, feitas com grande quantidade de efeitos especiais, uma história mais lenta, onde a emoção fale mais alto? Creio que sim. O apelo do storytelling e do reality chegou definitivamente ao público em geral. Cabe aos profissionais da comunicação avançarem neste conceito. Se for bem feito, de bom gosto, o público vai aprovar.

Anúncios

Mad X-Men: Timing no Storytelling

Acabou de sair um vídeo sensacional que conseguiu atrair públicos amantes de diferentes franquias de cinema e televisão. Numa paródia deliciosa, surgiu o Mad X-Men, história que mistura a fantasia mutante dos X-Men, com o drama primoroso da série Mad Men, considerada uma das melhores de todos os tempos.

Os personagens se mesclaram. Don Draper conversando com Wolverine; Magneto interagindo com Peggy Olson… O resultado foi sensacional e chamou logo a atenção na rede nas últimas horas. Confira:

 

E aí está o segredo da coisa. O storytelling utilizado por uma rede de fast-food americana, a Quiznos. Buscando seu espaço entre as grandes marcas, nesse mercado impressionantemente concorrido, a grande sacada da empresa foi atrair um público mais cosmopolita, através de dois grandes retratos deste público: as tais séries. Objetivo: lançar um novo produto.

O que mais gostei nesta história (além do uso de franquias que, particularmente, eu adoro!) é o TIMING. Foi perfeitamente lançada unindo dois grandes momentos das séries: o Lançamento do esperadíssimo novo filme dos X-Men e a última temporada de Mad Men. Obviamente, a atenção dos amantes de cada série (ou das duas, como eu) é retida na hora!

Cada vez mais, estamos na era do storytelling na comunicação de marketing. Porém o esquema será achar o timing correto. De nada adiantará uma história bem contada, na hora errada. Está lançado o desafio. E o Mad X-Men é um caso de como acertar o timing! Parabéns para a Quiznos!

Coca-Cola e Cinema: Nem a morte os separa

Ainda falando em mitos culturais e marketing, tá aí uma união quase sacrossanta. De um lado, a sétima arte, o cinema. Do outro lado, a empresa e o produto que transformaram o marketing em arte, a Coca-Cola. Se tornou tão comum vermos merchandising da Coca-Cola nas telonas que nem percebemos mais. O site especializado em cinema, ANYCLIP (www.anyclip.com), montou um infográfico sobre a relação histórica entre estas duas potências. O site criou um índice, o Anyclip BIMI, que indica a influência de marcas nos filmes, onde a Coca-Cola é a primeira colocada, com 9,7, seguida de Apple e Toyota (9,1 e 7,5, respectivamente).

O infográfico é curiosíssimo. Veja e descubra coisas interessantes sobre a Coca-Cola e Hollywood, que estão juntos em cenas de alegria, de tristeza e até de morte. Olha só:

Claro, como não poderia deixar de ser, há uma “cutucadinha de leve” na rival Pepsi no finalzinho, só pra não perder o costume! Eu senti falta da menção do filme “Pearl Harbor”, que, num momento tenso do filme, os protagonistas usaram garrafas de Coca-Cola como recipiente de sangue para transfusão! E você, o que achou? Comente!