Consumo e suas novas tendências

O lançamento do relatório da TrendWatching.com, falando sobre as tendências de consumo na América do Sul e Central, marcou a abertura do escritório local da empresa. Nada melhor que um relatório cheio de interessantes insights segmentados, para festejar mais uma empresa de consultoria de porte internacional chegando em terras tupiniquins.

Pontos interessantes foram levantados pelo relatório, alguns confirmando o que já imaginávamos, outras surpresas interessantes. Vamos aos principais pontos (em itálico, os comentários do blog sobre cada ponto):

– NOVISMO: O anseio pelo que é novo está tomando os consumidores da região. O texto fala que “os consumidores, com mais dinheiro disponível para gastar e com uma noção mais forte de seu poder pessoal, mergulham entusiasmados em uma seleção crescente de produtos, experiências, sabores, destinos e serviços cada vez mais disponíveis”.

Parece ser agora mais importante ainda a questão do Valor Percebido. Não há mais espaço para produtos “commoditizados” . É hora dos nossos produtos e serviços procurarem diferenciais sustentáveis imediatamente, se não quiserem ser engolidos por produtos líderes em custo advindos do exterior e por produtos realmente diferenciados.

– CONSUMIDORES VIRGENS: Muitos consumidores, que vêm ascendendo socialmente, não tem definidos os processos de compra pra determinados produtos que não faziam parte do seu conjunto de consideração. Também são válidas para marcas admiradas, porém ainda não alcançadas.

Uma boa fonte de aproveitamento dessa ideia é a criação de linhas mais populares para fazer com que haja uma “desvirginação”  destes clientes. 

– AUTONOMIA: O tradicional sonho de ter um emprego se foi. O empreendedorismo, a inovação e as iniciativas do gênero são a bola da vez para a nova geração. Isto tem forte influência não só em novos negócios, mas também dentro das organizações.

É tempo de empreendedorismo. E empreendedorismo voltado à tecnologia, o que faz entrar em campo as Start-Ups. Além disso, as empresas devem investir em empowerment e endomarketing, para que o empreendedorismo também seja uma realidade dentro das mesmas. Outra coisa é o empreendedorismo social, que pode ser incentivado e incrementado pelas organizações, como forma até de aumentar o brand equity.

– IMPACTO SOCIAL: Chamado no relatório de “Bridging the Gap” (colocando pontes sobre o abismo), este item anuncia o amadurecimento do consumidor sobre a importância, não só da qualidade objetiva do produto, mas do impacto social do mesmo. Isso vai passar de mero diferencial, para Fator Crítico de Sucesso.

É fato que empresas que realizam ações sociais ou que tenham um marketing social ativo tem uma percepção de qualidade acima da média do mercado. O brand equity se incrementa, se estas ações são realizadas e informadas ao público. Há estudos que indicam que empresas que investem em marketing social tem menor propensão a serem afetadas em situações de guerra de preços.

– USO INTENSO DA TECNOLOGIA: O estudo chama este momento de “Luxúria da Tecnologia”, ou Technolust. No texto é dito: “O tesão dos consumidores pela tecnologia é impulsionado pelos benefícios reais, imediatos e tangíveis que ela traz ao cotidiano: desde economizar dinheiro e abrir oportunidades à compras mais valiosas e mais convenientes e negócios e serviços mais eficientes e mais rápidos”.

A cibercultura é inevitável. Mas estamos chegando a níveis altíssimos de utilização de Tecnologias de Comunicação e Informação, no cotidiano. As marcas não podem apenas existir em ‘bricks’, mas deve-se ter presença ativa nos ‘clicks’. Isso indica: Mídias Sociais, Portais Interativos, Blogs Corporativos, Contato Real-Time, Comércio Eletrônico, Presença Mobile (Aplicativos e Sites adaptados). Isto é Fator Crítico. Não é uma modinha.

– LUXO: Classes mais baixas, que não tinham acesso a determinados tipos de produtos “luxuosos”, agora não só tem acesso, mas também tem vontade de fazê-lo. Novas marcas e novos segmentos estão aparecendo cada vez mais, o que necessita um foco de negócios bem definido.

As empresas devem pensar no nicho do luxo para seus produtos. No seu portfólio, deixe espaço para produtos que tenham um nível de luxo maior do que os demais. Produtos premium são importantes para as estratégias de marketing.

Importantes dados para o desenvolvimento de estratégias de marketing e para Comportamento do Consumidor. Mostra que a América Latina está em consonância com a “ocidentalização” cultural do mundo. Que insights os profissionais de marketing podem ter a partir dessas indicações? Comentem!

Anúncios

Participe com sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s